Pesquisar este blog

quarta-feira, 16 de março de 2011

Adotar ou não o nome do marido, eis a questão

No meu caso, não vou adotar o sobrenome do Leandro. Por vários motivos. O maior deles é que eu adoro a sonoridade do meu nome completo: Biessa Diniz Lopes Alves. Sempre vi meus sobrenomes com uma certa coerência, como se combinassem entre si.

O outro motivo é que ficaria com um nome muito grande se resolvesse adotar o sobrenome dele. Eu poderia retirar um, claro, mas - teoricamente - deveria ser o Diniz. E como retirar meu sobrenome que mais gosto? Além disso, é o que uso profissionalmente. Quando comecei a trabalhar, assinava como "Biessa Alves". Dois chefes me sugeriram trocar pelo Diniz e assim passei a assinar minhas matérias. Plim! - minha vida profissional melhorou. Não acredito em numerologia e afins, mas como retirar meu amuleto da sorte?

Confesso que também tenho um lado feminista que me faz achar retrógrado apenas a mulher adotar o nome da família do marido. Acho que tem de valer para os dois. Costumo brincar com o Leandro que, se for para usar o nome dele, ele também vai ter de colocar o meu! hahaha O novo código civil não permite isso? Por quê não fazer isso né?

O último e menos importante motivo é que eu tenho preguiça e arrepios só de imaginar ter de ir a tantos órgãos públicos para mudar meus documentos. Posso dizer que já mofei o suficiente no Detran (por causa de identidade e habilitação), seção eleitoral e demais órgãos... Prontofalei!

Este é um assunto polêmico e acho que a resposta para esta pergunta é muito pessoal e cada uma deve procurar dentro de si seu caminho. Deixo claro que não sou daquelas que acha que toda mulher que usa o sobrenome da família do marido uma "amélia", nada disso. Apenas tenho meus motivos para não fazê-lo, assim como você deve encontrar os seus para mudar seu nome ou não. Não se deixe influenciar pela opinião de pai, mãe, sogros, nem mesmo a de seu futuro marido. Esta é sua identidade e cabe a você resolver se vai adotar ou não um novo nome.


Qual a opinião de vocês?

13 comentários:

Isabelle disse...

Eu adotei o Arkan. E mantive o sobrenome original... De Isabelle Albuquerque Padilha, virei sabelle Albuquerque Padilha Arkan.
Adoro o Arkan. Fui trocando os documentos aos poucos e deu tudo certo. (ainda nao troquei o titulo! e lá vao quase 7 anos de casada!)

Mas minha tia sempre disse que quando eu escrever um livro (será que eu vou um dia?) devo assinar como solteira. Porque ela praticamente perdeu inumeras publicacoes pq usava o nome de casada e dps que separou ficou dificil juntar as autorias (burocracias!!!)...

Mas enfim!
Acho que é escolha de cada um.
Facilita um pouco o mesmo sobrenome, mas nada que seja problematico se nao for.

Boa escolha a sua!!!

Beijinhos!!!

Mariana Rodrigues disse...

Oi Biessa

Eu vou colocar, mas pq sempre quis mesmo..tanto que vamos casar no civil um tempo antes (tbm pq eu queria uma data que não terá para a igreja, entao no civil dá) e só depois vou fazer passaporte e td mais p nao precisar ficar mudando..mas só de pensar na burocracia já da preguiça..hehehe

mas concordo com as duas opções, acho que só a noiva pode decidir isso mesmo..

Bjuuus

Beatriz Amaral disse...

eu sempre pensei assim como você, nunca vi necessidade em mudar o nome e enfrentar a trabalheira que é mudar os documentos todos.

maaaaaas... quando fomos para Aruba rolou um estalo. em todos os passeios os casais e famílias eram chamados pelo sobrenome. no nosso caso eles chamavam por Amaral, mas só porque eu que fiz a transação toda na agência e meu nome vinha primeiro! rs!

e então eu me dei conta que quando nossos filhos nascerem e formos viajar, e então num desses passeios forem chamar pela família Mendes, eu vou me sentir excluída.

ok, é um pensamento idiota, eu concordo, mas eu sou uma pessoa muito família que não vou conseguir aceitar a idéia de ter um detalhe que me faça sentir fora da família.

meu sogro, que super apóia não trocar o nome, chorou de rir quando dei a minha explicação e até concordou e aceitou que eu adotasse o sobrenome dele! rsrs!

beijos!

Helen Harris disse...

Ai, penso como você: AMO meu nome (existe coisa mais sonora que Helen Harris?! rsrsrsr E adoro que meu nome é curtinho!) e também acho que se eu deveria adotar um sobrenome dele, ele também deveria adotar um dos meus, assim realmente começaríamos uma família nova, ao invés da mulher ser "absorvida" pela família do marido... No meu caso, além disso, ainda tem um pequeno problema: o sobrenome do noivo é o mesmo do meu avô paterno (Ferreira), que abandonou minha mãe e avó quando minha mãe tinha somente 4 anos...Quando minha mãe casou, ela tirou esse sobrenome...acho que seria esquisito ter o sobrenome do homem que abandonou minha família, mesmo que o noivo não tenha culpa disso, né?! Enfim, vou ficar com o meu nome mesmo, e fiquei super contente quando o noivo achou legal e ainda apoiou minha decisão frente a família dele (que é super tradicional e achou esquisito eu não mudar meu nome...)
Enfim, esse assunto é super delicado, né?!
Beijinhos!

Ju disse...

POsso assinar o texto junto com vc?


Gosto da sonoridade do meu nome e dele junto. Não gosto de nome muito grande e não aceito tirar nenhumzinho dos meus!

Sim, tenho um lado feminista e acho que não sou boi para ser marcado.

Sim, tenho MUITA preguiça para trocar tudo!

bjocas, ju

Priscilla disse...

Daria um RT imenso nesse post. hahaha
Ee estou no mesmo dilema, cheguei a ter insônia por causa disso. Ele quer, eu não vejo necessidade e não fica bem sonorizado.

Sou que nem vc, o primeiro sobrenome é o que uso no trabalho e pra assinar tudo o mais. Pensei até em tirar meu último sobrenome (Alves também), mas colocar o dele não iria ficar bacana. Sou Priscilla Oliveira de Vasconcelos Alves. Tiro o Alves e ficaria: Priscilla Oliveira de Vasconcelos Fonseca. Não, ne.

Ainda mais que digo brincando que eu fui magrela a vida toda, usar um sobrenome FonSECA é pedir pra ser zoada.haahhaa

Engraçado que qq outro namorado ou ficante eu ja imaginava meu nome com sobrenome deles, nesse não.

Acho que o que vale é estar casado e sobrenome nenhum muda isso.
Quanto ao caso citado no coment acima de ser chamado pelo nome da familia...é de se pensar, mas não é algo que seja o real motivo que tire meu sono.

Pq ou eu tiro o vasconcelos alves ou não ponho nada. E pra tirar tudo haverá estresse na família. haha
bju

Luciana Ramos disse...

Eu tb não troquei pelos exatos 3 motivos que vc descreveu rsrs O sogro ficou ressentido, mas apesar de gostar muuuito dele, eu casei com o filho, né? rs

JuSá disse...

Não não troquei o sobrenome não... e olha que AMO o sobrenome do meu marido... Statzner!

Gosto do meu nome, dá o maior trabalhão ficar trocando documentos, e me acho no direito de não ter que ceder ao machismo de colocar o nome do esposo.

Ou seja, exatamente como vc, Bi!

Bjao!

Carol disse...

Eu tambem nao troquei pelo lado feminista e pela preguiça de trocar os documentos. Amo o sobrenome dele - Gerbassi- e ele ficou um pouquinho chateado no início, mas já passou. :)

Qd os filhos vierem, seremos a família Santos Gerbassi e ninguem vai se sentir excluído! Rsrsrs

Tati Xavier disse...

Oi Biessa!!!
Li sua postagem dando risada!!!
Sabe porque??? Estava falando sobre isso hoje com minhas amigas de trabalho, e o mais engraçado de tudo é que eu falei exatamente do jeitinho que você escreveu aqui!!!
Ai que máximoooo!!!rsrsrs
NÃO MUDO, NÃO MUDO, NÃO MUDO! rsrs
Exatamente por todos esses motivos, nada contra, mas dá muito trabalho, e pq os noivos também não fazem isso???
Mesmo sendo enorme, também adoro meu nome (Tatiane Angelo Xavier dos Santos), embora que quando era criança eu não gostava do Angelo, mas hoje adoro, e imagina ter que colocar o Lourenço do meu noivo??? Acho bonito, mas deixa pra lá... rsrsrsrs
bjus, Tati Xavier (é assim que assino o meu! rsrsrs)

Tatiana K Wolff disse...

Eu não vou mudar também não!! Muito trabalhoso... E meu nome é todo alemão, minha mãe diz que teve o maior trabalho - encontrando meu pai! - pra deixar meu sobrenome bonitinho assim, nada a ver botar um "Araújo" no meio! hahaha
Bjs!

Giseli disse...

Oi, Bibi! Eu não tenho um nome maravilhoso e, ainda assim, penso em não vou adotar o nome do marido, acho bastante machista e já conversei com o meu noivo (sim, agora sou a mais nova noiva do pedaço!) sobre isso. Felizmente, ele não vê problemas e entendeu a minha colocação.
Beijos!

stella disse...

Oi Biessa!
Acabo de ter um surto psicotico por causa desta pressao de ter que mudar o nome! Meus pais sao contra, meu sogro eh contra, mas EU AMO O MEU NOME.
Obrigada por me fazerem me sentir menos sozinha!
STELLA FERRAZ SIMO (forever)